Líderes sustentáveis

Líderes sustentáveis

Com a proximidade da Conferência de Copenhague e os desafios trazidos pelas mudanças climáticas, uma nova era se inicia para o mundo dos negócios. E os líderes de grandes corporações que souberem trabalhar de forma integrada e visionária diante desse novo cenário poderão, além de garantir a estabilidade de suas empresas, conquistar grandes oportunidades de mercado.
O estudo Risco, Responsabilidade e Oportunidade: O guia dos CEO’s para a ação climática, se baseou na visão de líderes de corporações mundiais para traçar as principais questões que devem ganhar relevância para os executivos nos próximos anos e identificar as melhores formas de lidar com os desafios de liderar em meio às mudanças climáticas.
Produzido pelo Copenhagen Climate Council, uma iniciativa internacional que agrega cientistas, CEOs, diplomatas, entre outros especialistas, o documento integra a série “Pensamento de Liderança”, que traz estudos essenciais para a atuação de líderes globais.
Confira a seguir uma síntese desse estudo com os principais pontos destacados por CEOs para a nova era da liderança global, com uma checklist ao final para aqueles que desejam avaliar a atuação de suas empresas nesse quesito.
< body>Desenvolvendo uma nova mentalidade
< body>Dependendo da rapidez e da ambição das ações no combate às mudanças climáticas, pode-se não apenas estabilizar o sistema climático global, mas desenvolver uma série de novos empreendimentos e criar um futuro sustentável com crescimento econômico.
Ainda temos a possibilidade de transformar os riscos climáticos em novas oportunidades – e ampliá-las é um imperativo para os negócios atualmente. Tanto como parte integrante do problema como força propulsora para a solução, os negócios têm um papel decisivo nas mudanças climáticas:  e agora é o momento de exercê-lo.
Empresas inovadoras por todos os setores da economia global estão levando em conta as mudanças climáticas e tomando medidas para minimizar o risco e criar novas oportunidades: a maior e mais importante oportunidade ganha-ganha de todos os tempos.
Dezembro de 2009 deve marcar uma nova parceria global entre negócios e políticos. Esse é o objetivo desse relatório — mostrar algumas das questões críticas e possíveis respostas às mudanças climáticas. Entre os maiores desafios desse cenário, está o de desenvolver novas formas de fazer negócios e é modelos mentais dentro das empresas.

“As mudanças climáticas representam um desafio único para a economia: é o maior e mais selvagem declínio de mercado jamais visto” Nicholas Stern, The Stern Review on the Economics of Climate Change, outubro de 2006

< body>A mudança no clima: sucesso ou sobrevivência?
< body>Qualquer que seja o ângulo escolhido para avaliar as mudanças climáticas – novas regulações, mudanças físicas, oportunidades estratégicas emergentes – pode-se se constatar que elas estão afetando o modo de fazer negócios. Por exemplo: quando a União Européia introduziu o EU Emissions Trading Scheme, em 2005, cerca de 12,000 instalações de 7.300 negócios em 15 países se viram diante da obrigação de mensurar suas emissões de carbono.
Os negócios estão entrando em um período de transformação e de crescimento incerto, onde vencedores e perdedores podem ser separados de acordo com sua habilidade para sobreviver e serem bem sucedidos em um mundo com restrição às emissões de carbono.
Como líderes de negócios, os CEOs precisam dirigir suas companhias em meio a um período de transformação, preparando e reagindo à implicações adversas apresentadas pelas mudanças climáticas.
Mas um approach responsável para as companhias consiste em muito mais do que apenas minimizar riscos. A habilidade dos CEOs para entender e se adequar às  mudanças climáticas será crítica para o sucesso de suas companhias nesse meio ambiente em transformação.
Ao conduzir a mudança para um mundo de baixo carbono e eficiência energética, abraçando novas tecnologias e comportamentos, líderes de corporações modernas podem minimizar seu impacto ambiental enquanto  aumentam sua credibilidade diante dos públicos de interesse e maximizam sua capacidade  competitiva.
< body>O papel do CEO nas mudanças climáticas: Mostrando o caminho
< body>A visão e liderança do CEO é um componente vital para acelerar a resposta coletiva para a mudança climática. Essa aplicação não é apenas para os negócios com uma ligação clara à questão (ex: o setor de energia), mas também atravessa um amplo espectro de indústrias que são indiretamente afetadas pelo impacto das mudanças climáticas.

Como, então, um CEO determina a resposta apropriada gerir o risco e capitalizar nas novas oportunidades trazidas pelo futuro com menos carbono?

< body>A Pricewaterhouse Coopers (PwC) juntou os pensamentos de dez “Conselheiros” do Conselho Climático de Copenhague, que lideram companhias em diferentes setores da indústria em diferentes partes do mundo e , a partir de seus insights, apresenta cinco papéis por meio dos quais os líderes corporativos podem fazer a diferença no modo como seus negócios respondem ás mudanças climáticas. Alguns desses papéis são cruciais para a sobrevivência dos negócios. Outros ajudam a definir vantagem estratégica sobre a concorrência.
Sucesso e sobrevivência nas mudanças climáticas — Cinco papéis principais para os CEOs
< body>1- Dimensionar oportunidades crescentes
2- Preparar e proteger o negócio
3- Dar o exemplo
4- Empoderar outros
5- Ajudar a definir políticas de mudanças climáticas
< body>1- Dimensionar oportunidades crescentes
< body>As mudanças climáticas têm se movido para o topo de muitas agendas na medida em que companhias reconhecem oportunidades potenciais que podem ser percebidas por meio de ações responsáveis para adequação às mudanças climáticas. Em um nível coletivo, o Stern Review foi inequívoco em que “os benefícios de uma ação rápida e forte em relação às mudanças climáticas diminui os custos”.
< body>Manter o foco nas mudanças climáticas já está produzindo benefícios e crescimento para muitas companhias. Na última pesquisa anual da Pricewaterhouse Coopers CEO, aproximadamente um terço daqueles que  começaram a investir em respostas às mudanças climáticas já receberam retorno de seus investimentos.
< body>Oportunidades crescentes para negócios maduros e novos negócios repousam na habilidade em inovar e melhorar. Ganhos representam um limiar competitivo na medida em que se melhora a eficiência energética dos principais produtos. A habilidade para ver oportunidades e tomar decisões no tempo certo é crucial também se mostra crucial e envolve tomar a liderança por vezes, mas também reconhecer quando esperar pela oportunidade certa.
< body>2- Preparar e proteger seu negócio
< body>Um líder corporativo responsável deve estar atento para os riscos físicos e regulatórios das mudanças climáticas. Ações para mitigar riscos são sem dúvida as resposta mais efetivas, e não deveriam apenas cobrir o risco físico para a companhia em relação a cenários climáticos, mas também para a preparação para mudanças regulatórias rápidas.
< body>Regulamentações para endereçar as mudanças climáticas variam muito dependendo das jurisdições. Entretanto, na medida em que o cenário científico se define, a pressão em governos para intensificar a regulação tende a crescer.
< body>Entender como atividades e investimentos são afetados pelas mudanças climáticas é o primeiro passo para preparação dos negócios para esses impactos. Isso de se tornar parte da cultura de gestão de risco. CEOs e seus times precisam identificar e entender como as tendências mais significativas das mudanças climáticas vão afetar suas companhias, incluindo, por exemplo, a identificação e quantificação dos impactos do carbono por toda sua cadeia de valor. Também é importante identificar as interdependências entre os riscos das mudanças climáticas e outros riscos relevantes para organização.
< body>As estratégias de planejamento no longo prazo também devem levar em conta cenários climáticos globais e locais, com base em análises para identificação e  monitoramento de indicadores tanto quanto para desenvolvimento da agilidade organizacional para enfrentar possíveis complicações.
< body>Providências para a adaptação precisam ser tomadas especialmente nas operações de negócios mais vulneráveis aos impactos do clima. Uma organização pode não estar apta à responder efetivamente os riscos relacionados às mudanças climáticas, e pode precisar explorar parceiros visando a colaboração para mitigar ou se preparar para a ocorrência de impactos relacionados ao clima.
< body>3- Dando o exemplo
< body>Entender que as companhias têm responsabilidade para medir, reportar e reduzir suas próprias emissões é a base para endereçar as mudanças climáticas. Na medida em que as regulações se tornam mais exigentes e o nível de detalhamento se torna um padrão para as práticas de negócios, mecanismos de emissões e performance se tornarão um componente integral  do relato financeiro corporativo.
< body>Um papel essencial para os CEOs é endossar que mecanismos robustos de relato e estratégias de redução tem lugar dentro de suas empresas. O progresso em atingir metas para as mudanças climáticas deve ser revisado e discutido em reuniões de equipe.
< body>Em 2008, 74% das empresas do Global 500 que responderam ao CDP reportaram redução nos níveis de emissão. Dentro do setor de varejo, mais de 90% das companhias relataram que reduziram seus níveis, com 76% em indústrias químicas e farmacêuticas e 70% em óleo e gás.
< body>Em tecnologia, mídia e indústria de telecomunicação, 68% relataram redução nos níveis de emissão. O setor de transportes está focado em investimentos em novas tecnologias, ajustando modelos de viagem, melhorias em eficiência energética e educação em força de trabalho. O setor de utilidades deve investir mais em renováveis ou fontes de baixo carbono e melhorar a eficiência das plantas de combustíveis fósseis já existentes. O setor de tecnologia, mídia e telecomunicação busca reduzir as viagens de negócios investir em fontes renováveis enquanto reduz o uso de energia.
< body>4- Empoderando outros
< body>Os CEOs tem um papel importante para inspirar e empoderar sua staff, fornecedores, stakeholders e outros negócios no seu próprio setor e em outros setores relacionados. A importância da voz de um CEO e seu poder em ser ouvido tanto internamente e externamente não devem ser subestimados.
< body>Os líderes corporativos têm o papel de direcionar a atenção da companhia para os fatos difíceis das mudanças climáticas e estabelecer uma estrutura para que a staff da companhia possa se engajar positivamente com a questão.
< body>O papel do CEO é auxiliar a companhia a endereçar a questão objetivamente, ser claro quanto as estratégias e estabelecer uma cultura interna. Empoderar a staff dentro da companhia e estabelecer uma cultura interna correta também é importante para recrutamento e retenção.
< body>Questões como mudanças climáticas podem fazer parte de uma estratégia de engajamento de empregados para a companhia. Por meio do estabelecimento de metas e promoção de incentivos, os líderes de negócios podem mobilizar ações de suas staffs.
< body>5- Ajudar a definir políticas de mudanças climáticas
< body>Os CEOs tem um importante papel em modelar a resposta política global às mudanças climáticas. A visão de líderes de negócios é necessária para informar governantes, maximizar a efetividade de políticas e implementação de mecanismos.
< body>Enquanto a pressão cresce para os governos agirem, é importante que os CEOs ajam de maneira responsável.  O engajamento pela gestão senior do setor privado pode promover um valoroso insight para o desenvolvimento de mecanismos efetivos para limitar as emissões de carbono sem ser injustamente punitivo a um setor particular da indústria.
< body>Com esse suporte, a indústria pode demonstrar sua sustentabilidade corporativa enquanto desenvolve um approach efetivo que satisfaça o interesse de todas as partes interessadas.
< body>Rumo à Copenhague
< body>Os CEOs entrevistados para esse estudo tem cinco mensagens críticas para os líderes políticos do mundo enquanto se preparam para Copenhague:
< body>-O momento de mudar é agora
< body>-As metas precisam ser tanto no curto prazo quanto no longo prazo
< body>-Os negócios precisam de um prognóstico
< body>-Um novo acordo para redução das emissões de CO2 é necessário
< body>-A recessão econômica corrente e a crise financeira devem incentivar mais do que deter
< body>Clique aqui para acessar a Check list do estudo Risco, Responsabilidade e Oportunidade: O guia dos CEO’s para a ação climática e avalie se você ou suas lideranças estão preparadas para conduzir os negócios a uma economia de baixo carbono.

Inscreva-se em nossa newsletter e
receba tudo em primeira mão

Conteúdos relacionados

Entre em contato
1
Posso ajudar?