Juventude engajada

Juventude engajada

Para identificar a onda de comportamento social e ambiental nas gerações mais jovens ao redor do mundo, o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (do inglês, United Nations Environment Programme – UNEP), em parceria com a Força Tarefa Internacional sobre Estilos de Vida Sustentáveis, realizou a pesquisa Global Survey on Sustainable Lifestyles.
O mapeamento brasileiro ficou por conta do Instituto Akatu, que integrou os esforços para conhecer e explorar as possíveis manifestações de estilos de vida sustentáveis entre jovens e adultos. Os resultados apontam que a principal preocupação dos jovens brasileiros é o combate ao crime (32%), seguida pela redução da pobreza (27%), a melhoria das condições econômicas (18%) e, por fim, da necessidade de combate à degradação ambiental e a poluição (11%).
Em se tratando de desafios sociais, os mais citados pelos brasileiros foram “reduzir a poluição (ar, água, solo)” (72%); “melhorar a saúde da população” (72%); “reduzir o desemprego” (70%), “diminuir a diferença entre ricos e pobres” (61%), “reduzir o trabalho infantil” (61%) e “as mudanças climáticas” (61%).
O jovem e a sustentabilidade

Quando o assunto é consumo responsável, os jovens brasileiros ainda não estão preparados para o consumo responsável. Segundo a pesquisa, os critérios utilizados para a compra dos jovens questionados pelo estudo estão voltados mais às questões de preço e qualidade dos produtos, do que propriamente à preocupação com um consumo responsável.
Para estimular os jovens a trazerem a sustentabilidade para o seu dia a dia, foram propostos três cenários ecologicamente corretos na vida cotidiana: casa, alimentação e transporte.
Analisou-se se os jovens enxergam algum tipo de implicação ambiental nas práticas propostas. O estudo também procurou identificar, de acordo com o contexto sociocultural do respondente, a disposição dos jovens de adotar no futuro um estilo sustentável de vida.
No cenário Casa, a compostagem urbana foi a prática mais bem aceita entre os entrevistado, contando com 78% das citações. Em contrapartida, as lavanderias coletivas receberam somente 22% de aceitação.
No quesito Alimentação, o cenário Jardins Urbanos – sugerindo a auto produção de alimentos em áreas livres da cidade – apresentou uma boa receptividade, com 52% dos jovens respondendo que adotariam essa proposta em relação a 48% que prefeririam adotar o cenário embalagens de legumes e verduras, tanto pela saudabilidade e qualidade que a alimentação oferece, quanto pela praticidade e por evitar desperdício.
Já na categoria Transporte, com relação aos cenários referentes a transporte, 53% dos jovens optaram pelas Redes de Bicicletas enquanto 47% adotariam o cenário Compartilhar o Carro (47%).
Para ler a íntegra do estudo Estilos Sustentáveis de Vida, clique aqui.

Inscreva-se em nossa newsletter e
receba tudo em primeira mão

Conteúdos relacionados

Entre em contato
1
Posso ajudar?