World Giving Index 2013

World Giving Index 2013

O Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social – IDIS (www.idis.org.br) divulga no Brasil o “World Giving Index 2013 – Uma visão global das tendências de doação”, estudo encomendado por sua parceira britânica Charities Aid Foundation – CAF (https://www.cafonline.org/) ao instituto de pesquisa Gallup World Pool.

A data escolhida para publicação da pesquisa, 03 de dezembro de 2013, em evento em São Paulo, no Centro Ruth Cardoso, não foi ao acaso: é quando se comemora o Dia Mundial da Doação. Contudo, o Brasil ainda não tem muito o que celebrar. O País caiu oito posições, passando de 83° para 91º no ranking mundial de solidariedade, o que o classifica como a nação menos generosa da América do Sul, ao lado da Venezuela. A Colômbia, por sua vez, é o país mais solidário na região, seguido por Chile (31° e 35° lugar, respectivamente).

O levantamento é considerado o mais abrangente do mundo no que diz respeito à doação. Para tanto, foram ouvidas 155 mil pessoas em 135 países (dados coletados em 2012), considerando três indicadores de doação: o percentual de pessoas que, em um mês típico, doam dinheiro para organizações sociais; realizam atividade voluntária; ou ajudam desconhecidos.

Sobre o Brasil, o World Giving Index 2013 revela que 23% dos brasileiros afirmaram ter doado dinheiro para organizações sociais, o que representa queda de 1% em relação ao ano anterior, e que 42% ajudaram desconhecidos, 2% a menos do que o registrado no relatório de 2012.

Nos últimos anos o Brasil tem despencado rapidamente no ranking, caindo de 54º para 91º desde 2009. Quanto ao gênero mais benevolente, as mulheres saem na frente: 26% delas doam dinheiro, contra 20% dos homens, e 15% fazem trabalho voluntário, contra 11% deles.

Para Paula Fabiani, diretora-executiva do IDIS, o fato de a proporção de brasileiros que doam dinheiro não ter crescido nos últimos cinco anos é preocupante e requer medidas urgentes. Paula comenta que um dos motivos para esse resultado pode estar na falta de confiança dos brasileiros nas organizações da sociedade civil.

“Existe no nosso País grande desconfiança em relação ao Terceiro Setor, causada principalmente pelos escândalos envolvendo transferências irregulares de recursos a organizações sociais. Isso tem afetado negativamente a vontade das pessoas em ajudar o próximo. O governo e o Terceiro Setor precisam trabalhar juntos para reconstruírem essa credibilidade e permitir que as pessoas sintam segurança de que suas doações serão de fato destinadas a causas sociais.”

Fabiani também acredita que, com a realização do maior evento esportivo do mundo no próximo ano no Brasil, o voluntariado ganhe destaque no País. “Com a Copa do Mundo em 2014 acontecendo aqui, vejo uma ponta de esperança no aumento significativo do número de brasileiros engajados em trabalhos voluntários, como aconteceu com as Olimpíadas na Inglaterra. Será uma grande oportunidade para que a comunidade se una e para que o mundo conheça um País hospitaleiro e solidário.”

Doa mais quem tem menos

A Birmânia foi o país com o maior percentual de pessoas que doaram dinheiro para organizações sociais (85%), isto é, o ato de doar não está necessariamente atrelado à riqueza, já que dos dez países com maior proporção de pessoas que doaram dinheiro, seis não fazem parte do G20. O Reino Unido aparece em segundo lugar (76%), Malta vem em terceiro (72%) e Irlanda e Tailândia dividem a quarta posição (70%).

Na Índia, o número de pessoas que fizeram doações em dinheiro é maior que em qualquer lugar do mundo foram 244 milhões de pessoas doando dinheiro em um único mês. O Paquistão também está entre os dez países com maior número de doadores de dinheiro, acompanhando o terceiro ano consecutivo de desastrosas enchentes que atingiram mais de cinco milhões de pessoas.

Jovens engajados

Desde 2011 o maior crescimento na participação em voluntariado tem acontecido na faixa etária de 15 a 24 anos de idade (de 18.4% em 2011 para 20.6% em 2012). Nos últimos cinco anos, esse grupo etário deixou de ser o menos envolvido em ações de voluntariado para se tornar o segundo maior.

O Turquemenistão encabeça a lista de países com maior percentual de voluntários (57%), seguido por Sri Lanka (46%), Estados Unidos (45%), Birmânia (43%) e Filipinas (43%).

Devido à grande população que segue em crescimento, aliada a um aumento significativo de pessoas entrando para o voluntariado, (de 10% para 18%), a Índia passou à frente dos Estados Unidos, com 157 milhões de pessoas fazendo trabalho voluntário em um mês típico.

Ajudando ao próximo

Em 2012 os americanos eram mais propensos a ajudar desconhecidos (77%) do que qualquer outra nacionalidade, e os Estados Unidos também possuem o terceiro maior número de pessoas que afirmam oferecer ajuda ao próximo.

Já o Qatar apresenta o segundo maior registro de indivíduos que ajudam desconhecidos (73%), seguido pela Líbia (72%), Colômbia (70%) e Senegal (68%).

A China encabeça a lista com o maior número daqueles que ajudam ao próximo, isso devido à sua grande população – mais de 373 milhões de pessoas afirmaram ajudar um desconhecido na China, em um mês típico.

O World Giving Index 2013 é um relatório amplo e consistente que revela tendências diversas que merecem ser conhecidas e avaliadas. O estudo traz ainda uma série de recomendações para governos, empresas, indivíduos e organizações da sociedade civil. A ideia é que, em um momento de incertezas e grandes mudanças econômicas, os diferentes atores do setor filantrópico possam desempenhar um papel ativo no apoio a organizações sociais. Isso permitirá que tais organizações sobrevivam e se desenvolvam mesmo durante períodos de crise, e possam, assim, continuar oferecendo à sociedade serviços que não são prestados por governos ou pelo setor privado lucrativo.

O relatório está sendo divulgado em todo o mundo por meio da rede CAF, presente em nove países (Estados Unidos, Reino Unido, Austrália, Bulgária, Índia, Rússia, Cingapura, África do Sul e Brasil). O IDIS é parte da Aliança Global da CAF desde 2006 (única instituição na América Latina), devido à sinergia de propósitos que estende internacionalmente o expressivo trabalho que vem desenvolvendo ao longo de quase 15 anos na área do Investimento Social Privado (ISP) no Brasil.

O relatório completo encontra-se disponível, no idioma inglês, no link www.idis.org.br/biblioteca/pesquisas/worldgivingindex2013_report.pdf.

Para repercutir o estudo, Paula Fabiani, diretora-executiva do IDIS, está à disposição para entrevistas. Basta entrar em contato com a Assessoria de Imprensa do IDIS, Tamer Comunicação Empresarial (www.tamer.com.br) pelo telefone (11) 3031-2388, ramal 214 ou 226 ou pelos e-mails [email protected] e/ou [email protected].

Sobre o Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social

O IDIS, fundado em 1999, é uma organização da sociedade civil de interesse público (OSCIP) pioneira no apoio técnico e consultoria ao investidor social no Brasil e na América Latina. Facilita o engajamento de pessoas, famílias, empresas e comunidades em ações sociais estratégicas transformadoras da realidade, contribuindo para a redução das desigualdades sociais no País. Sua missão é apoiar o investimento social privado para o desenvolvimento de uma sociedade mais justa e sustentável. Sua atuação se dá de duas formas: desenvolvendo e disseminando conceitos e práticas de investimento social privado, e atendendo à demanda por apoio técnico de empresas, fundações, institutos e indivíduos.

Sobre a Charities Aid Foundation

A CAF é uma organização sem fins lucrativos dedicada ao investimento social privado, com sede no Reino Unido. Tem como objetivo aumentar e fortalecer o investimento social privado, influenciar o poder público a favor do investimento social e ajudar doadores a identificar e apoiar causas sociais, oferecendo um amplo leque de serviços para doadores individuais, doadores corporativos e organizações sem fins lucrativos. Internacionalmente, a CAF já se consolidou como uma das maiores organizações de investimento social privado na Europa e tem oito escritórios de atuação direta espalhados pelo mundo.

Mais informações:

www.tamer.com.br | [email protected]

Inscreva-se em nossa newsletter e
receba tudo em primeira mão

Conteúdos relacionados

Entre em contato
1
Posso ajudar?