O poder para o progresso

O poder para o progresso

Saber lidar com as dificuldades que permeiam uma organização e tomar decisões importantes faz parte do papel das lideranças atuais – que tem intrinsecamente ligado a sua atividade o conceito de poder, pois enquanto um indivíduo pode exercê-lo sem ser um líder, uma pessoa não pode liderar sem ter poder.
Para discutir essa ideia sob a perspectiva de executivos de grandes organizações, o Centro para Liderança Criativa (CCL) desenvolveu o estudo “O papel do poder na liderança efetiva”, que integra o projeto Ideas2Action (I2A), uma iniciativa visando alcançar a meta de transformar “ideias em ações”. O documento a seguir tem o propósito de entender como os líderes utilizam o poder para lidar em diversas situações, além de descrever como pessoas e companhias podem melhorar o papel da liderança por meio do uso efetivo do conceito.
No estudo, o poder é definido como “o potencial para influenciar outros” para alcançar metas individuais, de equipe e organizacionais, visando atingir melhores performances. Executivos de vários níveis dentro de corporações foram consultados para se chegar a conclusões que incluem os seguintes dados principais:
1. A maioria dos líderes pesquisados (94%) considera sua atuação entre moderada à extremamente poderosa no trabalho. Há uma correlação notável entre o nível dos líderes na organização e o quão poderoso eles acreditam ser.
2. 28 % dos líderes entrevistados concordam que o poder é mal utilizado por lideranças do alto escalão em suas organizações.
3. 59% dos líderes pesquisados concordam que sua organização empodera pessoas em todos os níveis.
4. 41% dos líderes pesquisados indicam que se sentiriam mais poderosos no trabalho se possuíssem mais autoridade formal.
5. As três faces do poder indicadas como mais relevantes foram: o poder da experiência, o poder da informação e o poder dos relacionamentos. O poder da punição, ou a habilidade para penalizar indivíduos por não atingir as expectativas, foi classificado como o menos vantajoso.
6. As faces do poder que líderes acreditam ser as mais importantes nos próximos cinco anos são: o poder dos relacionamentos, o poder da informação, e o poder para recompensar os outros.
7. O poder dos relacionamentos é usado mais frequentemente para promover  a agenda pessoal
8. Líderes sugerem que o poder pode ser melhorado por meio da identificação de relacionamentos desejados – investindo nesses relacionamentos – e reparando relações danificadas.
O quão poderoso você imagina ser em seu trabalho?

A maioria dos entrevistados da pesquisa (59 % de concordância) acredita que suas organizações trabalham para empoderar pessoas em todos os níveis e 53% desses entrevistados concordam que a empresa recompensa os líderes pelo empoderamento de pessoas.
Mesmo assim, mais da metade (55% de concordância) percebeu que o poder é concentrado em um grupo seleto de indivíduos dentro da organização. 28% dos pesquisados concordaram que o poder é mal utilizado por seus principais líderes dentro das organizações e apenas 29% acreditam que suas companhias ensinam as lideranças a aprimorar efetivamente todo o seu poder.
Pesquisas prévias nessa área identificaram sete bases que os líderes podem aprimorar:

Inscreva-se em nossa newsletter e
receba tudo em primeira mão

Conteúdos relacionados

Entre em contato
1
Posso ajudar?