Educação para sustentabilidade

Educação para sustentabilidade

Team Academy e a experiência de aprender fazendo
“Você gostaria de viajar ao redor do mundo e, ao mesmo tempo, aprender um pouco sobre marketing?”. Foi a partir desse convite, publicado em um anúncio de jornal, que a experiência do Team Academy teve início na Finlândia na década de 90.
Em 1993, Johannes Partanen, até então um palestrante de marketing, foi convidado para lecionar na Escola Politécnica de Jyväskylä, estabelecida no mesmo ano, como parte de um plano que trouxe profundas mudanças no sistema de ensino finlandês.
Entusiasmado com a proposta de um modelo educacional orientado pela prática, Partanen realizou sessões de aprendizagem junto com 24 estudantes que responderam ao seu anúncio. Consolidou-se assim uma nova metodologia de ensino, voltada à busca de soluções para problemas reais, que se tornou a base para as atividades realizadas no Team Academy.
Para elaborar esse modelo, o finlandês inspirou-se em ideias como a de Peter Senge que, no livro “A quinta disciplina”, já falava da necessidade de um rompimento radical com estruturas de ensino tradicionais, baseadas em currículos fragmentados. Segundo o autor, essa seria a única forma de desenvolver as novas competências exigidas de um profissional do século 21.
A proposta do Team Academy parte do modelo de organização caótica baseada em estruturas sem centro. Mas essa característica muito peculiar não significa abrir mão de bases teóricas sólidas.  Além da “Quinta disciplina”, Satu Vainio, coach do Team Academy, cita a teoria de criação de conhecimento (Nonaka-Takeuchi), trabalho em times (Katzenbach-Smiths), de co-criação (Richard Normans) e economia da experiência (Pine-Gilmore) como as linhas de pensamento que sustentam o programa. “Nosso modelo, pode ser usado em qualquer corporação para ajudar as pessoas a se organizarem para aprender – por elas mesmas e coletivamente – com o intuito de alcançar melhores resultados e uma organização mais sustentável”, afirma.
No Team Academy, os princípios de liberdade e responsabilidade não se chocam, o que pode ser percebido na rotina da instituição. As salas de aulas e as carteiras dão lugar a cômodos com janelas amplas e sofás confortáveis. Não existem professores, mas sim coaches que orientam os alunos conforme as suas necessidades.
Já na primeira semana de estudos, os alunos realizam visitas nos empreendimentos locais para identificação de demandas. Com essas informações, elaboram um team project no qual trabalham ao longo de todo o programa a fim de desenvolver modelos de negócios adaptados a realidade local.“O que procuramos fazer não é dar as respostas corretas às pessoas, mas sim ajudá-las a estipular objetivos e estratégias de ação em um ambiente favorável à diversidade de ideias”, ressalta Satu.
O programa corresponde a um bacharelado de administração, tem duração de três anos e as turmas reúnem de 15 a 30 estudantes por módulo. Desde a sua criação, já formou 300 pessoas, na sua maioria da região central da Finlândia.
Team Academy também oferece programas de especialização em negócios para executivos e empreendedores, sob formatos como o de MBA, por exemplo. Também tem recebido cada vez mais estudantes estrangeiros. O programa de times internacionais dispõe das mesmas ferramentas de aprendizado, mas contempla atividades na Finlândia e em outros países.
Nova geração de líderes
Modelos de aprendizagem coletiva à parte, a grande revolução trazida pelo Team Academy diz respeito à quebra de paradigmas. O que diferencia a experiência finlandesa do ELIAS, por exemplo, é o fato de desenvolver novos modelos mentais entre os jovens. Assim, esses futuros líderes são formados de acordo com uma lógica de negócios que já segue os princípios do pensamento sistêmico. “Um dos aspectos mais importantes do programa é que os jovens compreendam as relações de interdependências. Essa visão deve orientar todas as atividades, até as individuais”, destaca Satu.
Desse modo, o desenvolvimento sustentável não representa uma preocupação, mas um conceito intrínseco a todos os processos. “Raramente, utilizamos a palavra sustentabilidade. Isso não quer dizer que o conceito não faça parte da nossa proposta. Muito pelo contrário, está tão integrado às atividades que os alunos, naturalmente, desenvolvem produtos e estratégias voltadas para atender às necessidade econômicas, ambientais e sociais da comunidade”, afirma.
Esse modelo de organização mais flexível, em que todos são responsáveis pelo seu desenvolvimento pessoal e do grupo, requer um novo perfil profissional. “O Team Academy tem um grande potencial para criar novos modelos de negócios e estilos de vida. As ideias de maestria pessoal, responsabilidade e cooperação, disseminadas pelo programa, representam os grandes aspectos para mudar o mundo”, ressalta Ville Keränen, aluno do Team Academy.
Henna Kääriäinen, também aluna do programa, destaca que a metodologia do curso provê aos alunos a capacidade de buscar soluções para desafios complexos, como os que são apresentados pela sustentabilidade.  “O programa ensina como pensar a partir do ponto de vista da comunidade, o que é bom para todos, não apenas para o indivíduo”, ressalta.

Inscreva-se em nossa newsletter e
receba tudo em primeira mão

Conteúdos relacionados

Entre em contato
1
Posso ajudar?