Agenda positiva

Agenda positiva

O Movimento Empresarial pela Conservação e Uso Sustentável da Biodiversidade lança, em São Paulo, a Carta Empresarial pela Conservação e Uso Sustentável da Biodiversidade. Por meio desse documento, as empresas participantes do movimento declararam voluntariamente uma série de compromissos em favor da biodiversidade brasileira e levarão ao governo propostas com esse mesmo objetivo.
O Movimento Empresarial pela Conservação e Uso Sustentável da Biodiversidade foi lançado no dia 5 de agosto de 2010, com os seguintes objetivos:
· Promover a mobilização do setor empresarial brasileiro para o Ano Internacional da Biodiversidade;
· Levar um posicionamento empresarial ao governo brasileiro por meio da Carta Empresarial sobre o uso da Biodiversidade Brasileira, assumindo compromissos e solicitando ações internas e externas; e
· Maximizar a iniciativa com o envolvimento da sociedade civil.
Esse movimento é composto pelas empresas Alcoa, Natura, Vale e Walmart e pelas instituições Associação Brasileira de Comunicação Empresarial (Aberje), Centro de Estudos em Sustentabilidade da Fundação Getulio Vargas (GVces),Conservação Internacional, Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (Funbio), Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon), Instituto de Pesquisas Ecológicas (IPÊ), Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social, União para o Biocomércio Ético (UEBT, na sigla em inglês) e WWF-Brasil.
A iniciativa abre espaço para a construção conjunta de uma agenda positiva para a conservação da biodiversidade, que terá início com a Carta Empresarial pela Conservação e Uso Sustentável da Biodiversidade.
Contexto

O Movimento Empresarial pela Conservação e Uso Sustentável da Biodiversidade é o primeiro a incentivar a participação ativa do Brasil como líder no assunto na COP 10 (outubro em Nagoya, Japão) e o acompanhamento da definição de um novo plano estratégico do país em relação à Convenção sobre Diversidade Biológica (CDB) a ser alcançada até 2020. Para Oded Grajew, a realização deste Movimento é de relevância para todas as empresas brasileiras ou que atuam no Brasil: “2010 foi eleito pela ONU como o Ano Internacional da Biodiversidade, que será o tema principal da COP 10.
O setor empresarial deve ser um importante agente de mudanças, com capacidade de alterar o modelo de desenvolvimento, promover mudanças em processos produtivos, bem como propor soluções inovadoras para a conservação e valoração da biodiversidade. Até hoje tratamos o tema do aquecimento global como prioridade, e temos o desafio de fazer o mesmo, de forma coordenada, com a conservação e uso sustentável dos recursos naturais do planeta”.
Dados
Um estudo recém publicado sobre o valor econômico dos ecossistemas e da biodiversidade, “The Economics of Ecosystems and Biodiversity” (TEEB) conseguiu, de maneira inédita, reforçar a importância da biodiversidade para a iniciativa privada. A partir disso, é possível estabelecer a relação direta entre o uso sustentável da biodiversidade e os efeitos positivos para os negócios.
Atualmente, mais de 60% de todos os ecossistemas do planeta estão ameaçados;
Desse total, 35% são mangues e 40% florestas;
A demanda por recursos naturais excede em 35% a capacidade do planeta Terra;
Caso o ritmo atual dessa demanda for mantido, em 2030 serão necessárias duas Terras para atendê-la;
Em 2000 e 2005, a devastação das florestas na América do Sul foi de 4,3 milhões de hectares;
Do total de hectares devastados, 3,5 milhões foram registrados no Brasil;
O prejuízo anual com o desmatamento é de US$ 2,5 a 4,5 trilhões de dólares à economia global – o equivalente a jogar no lixo todo o PIB do Japão, o segundo maior do mundo.
Confira a carta aqui

Inscreva-se em nossa newsletter e
receba tudo em primeira mão

Conteúdos relacionados

Entre em contato
1
Posso ajudar?