Pós Rio+20

Pós Rio+20

A despeito das críticas, a Rio+20 deixa seu legado no que diz respeito à disseminação do conceito de economia verde e à cooperação entre os diferentes setores da sociedade. Durante a Conferência da ONU, foram assinados cerca de 700 compromissos voluntários entre ONGs, empresas, governos e universidades, representando um investimento de US$ 513 bilhões para ações de desenvolvimento sustentável nos próximos 10 anos. Chamou atenção a presença destacada de lideranças de empresas, investidores e governos locais, atores pouco expressivos na Eco 92.

A cooperação entre esses setores é crucial e pode endereçar as questões de financiamento do desenvolvimento sustentável, que acabaram não aprofundadas na Rio+20. Atento a esse cenário, o CDP aposta na convergência de suas plataformas de reporte (carbono, água e, mais recentemente florestas), trazendo a questão das mudanças climáticas e do uso eficiente de recursos naturais para o centro da estratégia por meio do engajamento com públicos estratégicos, como investidores, empresas e governos. Durante a Rio+20 , o time do CDP participou de uma série de discussões a fim de acelerar essa missão. Confira abaixo os principais destaques.

CDP e Forest Footprint Disclosure Project criam o maior sistema mundial de reporte de capital natural

O CDP e o Global Canopy Programme (GCP) anunciaram durante a Rio+20, uma aliança que prevê a fusão entre o Forest Footprint Disclosure Project (FFD), do GCP, à plataforma do CDP durante os próximos dois anos. Isso permitirá, pela primeira vez, que o relatório das companhias sobre carbono, água e florestas esteja sob o mesmo guarda-chuva, resultando no maior e mais abrangente sistema de reporte de capital natural, cuja valorização e gerenciamento é crucial para avança da economia verde.

Assista às entrevistas de Paul Simpson, CEO do CDP, e Andrew Mitchell, CEO do GCP e presidente da FFD.

Oportunidades de cooperação entre o setor privado e as cidades rumo a uma economia verde

O CDP realizou, no dia 15 de junho, na Rio+20, o encontro “Transparência e Ação Rumo a uma Economia Verde: como as cidades e o setor privado podem trabalhar juntos para desencadear a mudança”em parceria com o Banco Mundial e a WWF, com o apoio da Ernst&Young. Entre os participantes destacaram-se Paul Simpson, CEO do CDP, e importantes nomes dos setores público e privado entre os quais, Andrew Steer, enviado especial para Mudanças Climáticas do Banco Mundial, Alexandre Rangel, diretor executivo da Ernest & Young, e Paulo Ricardo Stark, CEO da Siemens no Brasil. O encontro contou também com apresentações de boas práticas de cidades e empresas e dos resultados de uma pesquisa sobre como cidades-líderes estão gerenciando suas emissões e o uso da água.

Leia mais sobre como cidades de todo o mundo estão enfrentando os desafios das mudanças climáticas no último relatório do CDP Cities.

O papel das empresas em uma economia verde

Definir soluções transformadoras e apresentar casos de sucesso liderados por um grupo inovador que inclui desde governos locais e nacionais apequenas e grandes empresas. Esses foram os objetivos do encontro “Soluções transformadoras para uma economia verde”, organizado pelo The ClimateGroup durante  o Fórum de Sustentabilidade Corporativa (Corporate Sustainability Fórum – Rio+20), promovidopelo Global Compact da ONU, em parceria com o The Climate Group.

Paul Simpson, CEO do CDP, atuou como moderador da sessão que contou com nomes importantes do mundo corporativo: Mark Kenber, CEO do The Climate Group; Niall Dunne, CSO (Chief Sustainability Officer) da BT; Colin Calder, CEO da PassivSystems; Bryan Jacob, diretor global de Eficiência Energética e Proteção Climática da Coca-Cola; Thomas Nagy, VP executivo da Novozymes; Lee Seung-Han, chairman da Homeplus; Håkan Nordkvist, chefe de Inovação Sustentável da IKEA; e Barbara Kux, membro do conselho de administração e CSO da Siemens.

Instituições financeiras se comprometem com a integração do capital natural a seus serviços e produtos

Durante a Rio+20, o CDP participou da assinatura da Natural Capital Declaration por 37 instituições financeiras, fundos de investimentos e companhias de seguros. A iniciativa tem como objetivo integrar as considerações de capital natural nas decisões de investimentos e dos serviços prestados pelas signatárias.

Atualmente, muitas instituições financeiras não compreendem suficientemente os riscos e oportunidades relacionados ao capital natural, que acaba não sendo considerado nas suas decisões de investimento. Sendo assim, a Natural Capital Declaration visa à integração do capital natural aos produtos e serviços financeiros (empréstimos, investimentos e seguros) e na sua cadeia de suprimento, bem como o desenvolvimento de ferramentas adequadas de valoração e gestão de riscos.

Entre os signatários da Natural Capital Declaration, destacam-se instituições latino-americanas como o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Infraprev, Caixa Econômica Federal, Banco Banorte e Banco Fira, também signatários do Carbon Disclosure Project.

Governança climática na agenda de investidores institucionais

No dia 19/06, representantes da Comissão de Sustentabilidade da Abrapp – Associação Brasileira de Fundos de Pensão reuniram-se com Paulo Simpson, CEO global do CDP e seus executivos no Brasil, Fernando Figueiredo e Juliana Lopes. Na ocasião, Simpson apresentou alguns exemplos de como investidores de todos o mundo estão considerando as informações colhidas pelo CDP nas suas decisões de investimento. Estiveram presentes Rafael Castro (Previ), Carlos Frederico Aires Duque (Infraprev), Paulo Gusmão (Petros), Raquel Castelpoggi (Fundação Real Grandeza). Os participantes discutiram também estratégias para capacitação dos investidores na análise dos dados do CDP e engajamento das empresas.

CDP se reúne com BNDES

Paul Simpson e Fernando Figueiredo, diretor do CDP no Brasil, participaram – ao lado de executivos da organização – de um encontro com o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho. A reunião, realizada durante a conferência da ONU no Rio de Janeiro, teve como objetivo apresentar o Carbon Disclosure Project – especialmente o Water Disclosure Project, uma das frentes de ação do CDP – ao banco e fortalecer o contato entre ambas instituições, além de prospectar futuras parcerias.

Agenda:

28/06, 7h45-8h45: Evento do CDP Carbon Action no PRI in Person

O CDP realizará um café da manhã com investidores no dia 28/06, às 7h45, no Hotel Sofitel Copacabana. Na ocasião, serão apresentados os resultados do Carbon Action, iniciativa capitaneada pelo CDP junto a investidores de vanguarda que estão solicitando às companhias compromissos efetivos a fim de reduzir suas emissões de gases de efeito estufa. O evento contará com a presença de Karina Litvack, Diretora de Governança e Investimento Sustentável, F&C; Dr Craig MacKenzie, Chefe de Sustentabilidade, Scottish Widows Investment Partnership; Hugo Penteado, Economista-chefe, Santander, Brasil; Fernando Eliezer Figueiredo, Diretor do CDP Latin America e Emanuele Fanelli, Vice Presidente Senior de Engajamento com Investidores, CDP. Eles discutirão como os investidores podem influenciar a mudança de comportamento nas empresas rumo a uma economia de baixo carbono. Garanta já sua presença, enviando um email para: [email protected].

Inscreva-se em nossa newsletter e
receba tudo em primeira mão

Conteúdos relacionados

Entre em contato
1
Posso ajudar?