O valor das florestas

O valor das florestas

Livro trata dos desafios da sociedade moderna para lidar com temas como conservação e biodiversidade
Organizada pelos especialistas Marco Antonio Fujihara, Roberto Cavalcanti, Andre Guimarães e Rubens Garlipp, a publicação “O valor das floreestas” aborda a importância e o uso dos recursos florestais no Brasil e no mundo, apresentando oportunidades para se obter produtos e serviços ambientais a partir de procedimentos sustentáveis que beneficiem toda a sociedade.
O objetivo da obra é ajudar o leitor a encontrar explicações para muitas dúvidas relativas ao tema, incluindo a relação das florestas naturais e plantadas com bens e serviços ambientais, econômicos e sociais, e a compreender que o real valor das florestas está na sua existência, transcendendo os valores, muitas vezes imediatistas, que o mercado e as pessoas lhes atribuem.
O livro aborda desafios como conservação do solo e biodiversidade, manutenção e regularização de regimes hídricos e melhoria na qualidade do ar. No que se refere à mudança climática, mostra que a regeneração e o plantio de novas florestas ajudam a compensar, pelo menos em parte, as emissões do gás carbônico decorrentes de queimadas.
Também trata de sua importância econômica, pelo fornecimento de madeira, derivados e outros produtos fundamentais, inclusive para a medicina. Os produtos florestais adicionam cerca de US$ 470 bilhões ao produto interno bruto global e o comércio internacional anual relativo ao setor é da ordem de US$ 330 bilhões.
Diante dessa importância econômica, social e ambiental, as florestas integram a agenda política internacional com destaque. Propostas de ações para sua valorização, conservação, utilização racional e práticas de comércio justo aparecem em várias convenções e tratados da Organização das Nações Unidas, como a Convenção da Diversidade Biológica, a Convenção do Combate à Desertificação e a Convenção de Mudança do Clima, entre outras, que também são expostas na obra.
Sobre os autores:
Marco Antonio Fujihara: engenheiro agronômo com mais de 20 anos de experiência no setor florestal, avalia projetos na área de economia de recursos naturais para o World Bank e a International Timber Tropical Organization (ITTO). É diretor da KEYASSOCIADOS e do Instituto Totum com foco em carbon finance e sustentabilidade empresarial. Atua no IPCC desde 2002 como revisor do WG2.
Roberto Cavalcanti: PhD mm Biologia, é professor titular do departamento de Zoologia da Universidade de Brasília (UNB). Presidente da Conservation International/Brasil (CI) e foi vice-presidente da divisão do Leste e Oeste da Ásia na Conservation International de 2003 a 2009. Atualmente, é vice-presidente do Conselho do Instituto Bioatlântica (IBIO), no Rio de Janeiro.
Andre Guimarães: Engenheiro Agronômo e mestre em Economia Agrícola pela Cornell University (USA). Atuou como gerente de projetos para o Programa Piloto das Florestas Tropicais – PPG7 e como executivo do Fundo Protótipo de Carbono, ambas posições no Banco Mundial. Está no IBIO desde 2002, onde, além de diretor-executivo, foi coordenador do Programa Bacias Hidrográficas Sustentáveis. Atualmente é diretor-executivo da Brasil Florestas.
Rubens Garlipp: Engenheiro Florestal, MSC, consultor e diretor da Sociedade Brasileira de Silvicultura (SBS), é membro de conselhos consultivos no Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, e de comitês da ABNT e Inmetro, além de integrar o Diálogo Florestal para a Mata Atlântica e Pampa. Há mais de trinta anos no setor, foi pesquisador da Embrapa e do IPEF e lecionou Economia Florestal no Departamento de Ciências Florestais da Esalq/USP. Tem vários artigos publicados e palestras proferidas no Brasil e no exterior sobre sustentabilidade florestal.

Inscreva-se em nossa newsletter e
receba tudo em primeira mão

Conteúdos relacionados

Entre em contato
1
Posso ajudar?