INOVAÇÃO – Tecnologia que gera empregos

INOVAÇÃO – Tecnologia que gera empregos

O comprometimento efetivo da Europa para enfrentar as mudanças climáticas irá perpassar pela necessidade massiva de “tecnologia limpa”, que viabiliza a produção de energia com baixa (ou nenhuma) emissão de gases de efeito estufa, destaca o estudo Tecnologia limpa e empregos na Europa, desenvolvido pela Coalizão para a inovação, emprego e desenvolvimento. (CIED)
O documento aborda as relações entre direito de propriedade intelectual, inovação no abatimento de carbono, tecnologia limpa e o impacto desse processo para os empregos no continente.
A tecnologia necessária para uma economia verde não existe na escala necessária hoje – e para tanto, deve-se investir em pesquisa. A agência internacional de energia estima que cerca de € 2.500 bilhões devem ser investidos na Europa nos próximos 20 anos em P&D, para demonstrar e preparar a tecnologia limpa necessária.
Esse investimento, segundo o estudo pode ser subsidiado por meio do sistema de comércio de emissões. Embora o custo seja alto, também representa uma oportunidade para geração de empregos em diversos setores.
O documento reuniu estudos recentes que projetam a criação de empregos em tecnologias de energias renováveis nos próximos 20 anos, e revela que esse número pode ultrapassar 2 milhões.
Como muitos desses empregos exigirão muito da área de pesquisa, essa oportunidade também pode ajudar a União Européia a alcançar as metas na Agenda de Lisboa, que define que a UE deveria ser mais competitiva e dinâmica em P&D.
Porém, destaca o estudo, a evolução também depende do desejo de companhias visionárias para enfrentar possíveis riscos e investir massivamente em inovação.
Confira o estudo Tecnologia limpa e empregos na Europa na íntegra.

Inscreva-se em nossa newsletter e
receba tudo em primeira mão

Conteúdos relacionados

Entre em contato
1
Posso ajudar?