Congresso Madeira 2010

Congresso Madeira 2010

Nos dias 22 e 23 de junho será realizada a 5ª edição do Congresso Internacional de Desenvolvimento Econômico Sustentável da Indústria de Base Florestal e de Geração de Energia – Madeira 2010, idealizada pelo Instituto Besc de Humanidades e Economia, na FECOMERCIO, em São Paulo.
O evento apresenta temas e estratégias para o fortalecimento e desenvolvimento sustentável dos setores e é destinado a pesquisadores, professores, profissionais, estudantes, técnicos, especialistas, lideranças empresariais e autoridades governamentais.  O “Madeira 2010” trará temas atuais em relação à nova ordem econômica mundial e os seus impactos no setor florestal brasileiro, que está relacionado com produtos para exportação.
Será apresentada a preocupação do setor em como aliar essa produção florestal aos desafios para atender as demandas da sociedade em relação à oferta de matéria prima e recursos naturais. Nessa questão, surge o debate sobre alteração do Código Florestal Brasileiro, como o Brasil pode evoluir na questão de mercado de carbono, os acordos climáticos e como tudo isso pode ser colocado em uma realidade política atual de mudança de governo.
“O evento vem em um momento muito oportuno, pois o anterior aconteceu há dois anos, justamente no momento da crise mundial. Apesar de o Brasil estar razoavelmente confortável nesse contexto, ainda existem reflexos da crise. E esses setores têm muita relação com os problemas de ordem econômica, porque muito do que o Brasil faz em relação a floresta está vinculado ao mercado de exportação. Ainda há questões a serem debatidas e o evento traz essa oportunidade, com destaque pela importância do tema e representatividade de seus palestrantes”, afirma José Otavio Brito, coordenador técnico do Madeira 2010.  O Congresso tem patrocínio do BNDES, FECOMERCIO, FIBRIA, Petrobras, SEBRAE e Suzano Papel e Celulose.
Um dos destaques do evento é o painel “Código Florestal Brasileiro – Visões Estratégicas”, que acontece no primeiro dia  (22/6) e será moderado por Marcílio Caron Neto, conselheiro do Conselho Nacional de Meio Ambiente (CONAMA) com participação de Aldo Rebelo, deputado federal; João Comério, diretor Executivo da Unidade de Negócio Florestal da Suzano Papel e Celulose; Gustavo Ribas Curcio, da Embrapa Florestas; e Mario Mantovani, diretor de Políticas Públicas da Fundação SOS Mata Atlântica.
Os palestrantes abordarão as discussões das possíveis alterações do Código Florestal Brasileiro, que estão causando polêmica entre ambientalistas. O deputado Aldo Rebelo é o relator da Comissão Especial do Código Florestal Brasileiro e responsável pelo relatório da Comissão, que está previsto para ser apresentado ainda esse mês. A bancada ruralista acredita que as ONGs não estão a favor do desenvolvimento do País.
Já os ambientalistas, como Mario Mantovani, acreditam que esse não é um bom momento para modificações na legislação. “Fazer alterações na legislação brasileira em ano eleitoral não é um bom momento, isso pode ser uma decisão política que não defende o interesse de toda a sociedade”, acredita o diretor de Políticas Públicas da Fundação SOS Mata Atlântica.
Com a mesma importância, está a discussão das oportunidades do setor florestal no que se diz respeito à economia de baixo carbono. Serão debatidos os potenciais do setor na questão de crédito de carbono e redução das emissões. Trata-se do painel “Indústria de Base Florestal e de Geração de Energia numa Economia de Baixo Carbono”, no dia 23, às 11h.
Luiz Alberto Figueiredo Machado, embaixador e diretor do Departamento de Meio Ambiente e Temas Especiais do Ministério das Relações Exteriores, abordará “A posição do governo brasileiro nas negociações intergovernamentais com vistas a uma economia de baixo carbono”; Marcos Antonio Fujihara, sociodiretor do Instituto Totum e Key Associados, falará sobre “Sustentabilidade e Mudança Climática na Indústria Florestal” e Elizabeth de Carvalhaes, presidente executiva da Bracelpa, debaterá a”Posição do ICFPA sobre a contribuição da Indústria Florestal na mitigação das Mudanças do Clima”; a moderação fica por conta de Gustavo Macedo de Mello Baptista, professor da UNB.
Outro destaque da programação é o painel “Indústria de Base Florestal e a Geração de Energia”, no segundo dia do evento (23/6), com Mauricio Tolmasquim, presidente da Empresa de Pesquisa Energética/ Ministério de Minas e Energia, que falará sobre ‘Madeira e carvão vegetal no Balanço Energético Nacional – Histórico e Perspectivas’; Armando Ricardi Júnior, presidente do Conselho Consultivo da ABESCO, com o tema ‘Energia da madeira em setores não produtores florestais’; Herwig Andreas Ragossnig, da Seeger Engineering AG, sobre ‘Geração de energia com biomassa para os setores das indústrias madeireira e florestal’ e Marcos Otávio Bezerra Prates, diretor do Departamento de Competitividade Industrial do MDIC – Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, que falará sobre ‘Incremento do Carvão Vegetal Renovável na Siderurgia Nacional’.
Mais informações:
[email protected]
[email protected]
[email protected]
(11
) 3168-1412

Inscreva-se em nossa newsletter e
receba tudo em primeira mão

Conteúdos relacionados

Entre em contato
1
Posso ajudar?