Team Academy e a experiência de aprender fazendo

Team Academy e a experiência de aprender fazendo

Em recente visita ao Brasil, o design Bruce Mau lançou uma provocação oportuna. Se Rapunzel fizesse uma viagem no tempo e chegasse ao século XXI se surpreenderia com as inúmeras maravilhas do mundo moderno. Aviões, celulares de última geração, máquinas digitais, acesso à internet muito provavelmente lhe despertariam surpresa e até mesmo espanto. Mas, se entrasse em qualquer sala de aula, não hesitaria em dizer: “Isso é uma escola”.
Respondendo a provocação de Mau, convidaria Rapunzel a conhecer a experiência da escola de negócios finlandesa Team Academy e aposto que ela não adivinharia com a mesma prontidão. A começar pelo fato de que não há professores ou alunos, tão pouco carteiras ou lousas. Existem sim coaches e times de empreendedores que desde o primeiro dia de aula trabalham com projetos reais, tendo como valores norteadores a diversão e o diálogo.
Para os céticos de plantão, advirto já: se divertir é coisa séria no Team Academy. Como bons finlandeses, a disciplina marca tudo o que fazem, sendo o compromisso individual, um elemento-chave na construção de um ambiente favorável à cooperação e ao empreendedorismo.
Representantes da escola de negócios estiveram no Brasil na semana passada em um workshop, organizado pelo Senac, SOL e The Hub, para apresentar sua metodologia revolucionária de ensino.
São os estudantes que estabelecem o que pretendem aprender no que chamam de learning contract, revisto ao menos uma vez por ano, baseado no princípio de que cada um é responsável pelo seu próprio aprendizado.
Organizados em grupos, eles iniciam um empreendimento e todo o seu aprendizado é orientado pela prática. Vejam bem, não se trata de um estudo de caso, são empresas reais, registradas como pessoas jurídicas. Ao todo, são 200 empreendimentos gerados no Team Academy, totalizando um faturamento líquido de um milhão de euros.
O protagonismo é outra marca na metodologia. Ao invés de dar as respostas certas, os coaches orientam os alunos a estipular objetivos e estratégias de ação em um ambiente favorável à diversidade de ideias.
O programa corresponde a um bacharelado de administração, tem duração de três anos e as turmas reúnem de 15 a 30 estudantes por módulo. Desde a sua criação, já formou 300 pessoas, na sua maioria da região central da Finlândia.
O princípio de tudo
A ideia do Team Academy surgiu quando Johannes Partanen, professor de marketing, foi convidado a dar aulas na Escola Politécnica de Jyväsky e decidiu convocar estudantes para uma experiência diferente de aprendizado. Para tanto, publicou um anúncio com o seguinte convite: “Você gostaria de viajar ao redor do mundo e, ao mesmo tempo, aprender um pouco sobre marketing?”. Por trás do chamado, aparentemente despretensioso, estava o desejo de elaborar uma metodologia de ensino que rompesse com as estruturas tradicionais, baseadas em currículos fragmentados, proposta inspirada pela leitura do livro “A quinta disciplina”, em que Peter Senge já alertava que essa seria a única forma de desenvolver as novas competências exigidas de um profissional no século XXI.
Senge, fundador do Center for Organizational Learning no MIT que se transformou na Organizational Learning (SoL), é hoje um dos maiores disseminadores da proposta de ensino do Team Academy.
Assista ao vídeo, em que Peter Senge comenta sobre a escola de negócios finlandesa.

Inscreva-se em nossa newsletter e
receba tudo em primeira mão

Conteúdos relacionados

Entre em contato
1
Posso ajudar?