São Paulo lidera ranking nacional de crédito de carbono

São Paulo lidera ranking nacional de crédito de carbono

O Estado de São Paulo é o líder nacional em crédito de carbono, nome popular conferido ao Mecanismo de Desenvolvimento Limpo, instrumento criado no âmbito do Protocolo de Quioto para compensar emissões de gases de efeito estufa.
Segundo Flávio Gazani, presidente da Associação Brasileira das Empresas do Mercado de Carbono (Abemc), os projetos mais comuns de MDL no Brasil estão no campo da co-geração de bagaço da cana, feita em usinas de açúcar e álcool da região Sudeste, especialmente São Paulo.
Em segundo lugar,  encontra-se o Estado de Minas Gerais, com 42 projetos. Rio Grande do Sul (34), Santa Catarina (24) e Paraná (22) vem em seguida. O Nordeste é a região que gera menos crédito de carbono pelo fato—segundo Gazani – de emitir poucos gases de efeito estufa. O presidente da Abemc acredita, no entanto, que a recente unificação dos cálculos de emissão para o Brasil, deverá estimular mais projetos na região.
Os números mostram que o Brasil segue líder de MDL na América Latina.  Mas o México tem crescido. E hoje já ocupa a quarta posição no ranking mundial.
De acordo com Gazani, a Abemc tem desenvolvido, em paralelo com o mercado regulado, um mercado voluntário de crédito de carbono no qual se sobressaem ações de empresas que assumiram metas próprias de redução de emissões. “Esse mercado está crescendo. Ele não sofre a limitação imposta ao mercado regulado até 2012”, afirma o presidente, fazendo alusão á data final das determinações do Protocolo de Quioto.

Inscreva-se em nossa newsletter e
receba tudo em primeira mão

Conteúdos relacionados

Entre em contato
1
Posso ajudar?