RECICLAGEM – Redecard economiza R$ 10 milhões com reciclagem de máquinas e campanhas com clientes

RECICLAGEM – Redecard economiza R$ 10 milhões com reciclagem de máquinas e campanhas com clientes

São Paulo, outubro de 2009 – Uma campanha para incentivar a base de clientes a adotar uma versão online do extrato eletrônico como forma de contribuir para a preservação do meio ambiente e reduzir custos operacionais foi o início de um processo de mudança na relação da Redecard com os estabelecimentos comerciais. Hoje, esse projeto conta com uma adesão de 80% dos clientes da companhia e já representa uma economia de R$ 10 milhões.
A iniciativa, segundo o presidente da Redecard, Roberto Medeiros, não é uma ação isolada. “Pensamos desta maneira considerando cada decisão corporativa. Desde uma ação como esta, que até aqui poupou 20 milhões de folhas de papel, até a coleta seletiva dos nossos escritórios ou reciclagem de todo o nosso parque de terminais, por exemplo”, explica.
Com um parque de terminais que cresceu quase quatro vezes em apenas sete anos – de 242 mil em 2002 para cerca de 920 mil maquininhas este ano – a Redecard enfrentou o desafio de estabelecer uma solução logística que fosse capaz de atender à demanda da companhia sem deixar resíduos da sua operação na natureza. Até o fim de 2009, a empresa reciclará, diariamente e em média, 3,2 mil maquininhas, o que pode render entre 3,3 e 4,8 toneladas de sucata, sendo aproximadamente 37% plástico, 12% componentes diversos (conectores e outros metais), 11% papelão, 13% fios de cobre e alumínio, 21% placas e LCDs e 6% baterias.
A Redecard utiliza o conceito dos 3Rs: Reduzir, reciclar e reutilizar. “Desde 2006, todos os computadores estão programados para usar a frente e o verso do papel nas impressões. As impressoras são abastecidas apenas com papel reciclado. Os funcionários são incentivados a imprimir documentos apenas quando necessário e a evitar o desperdício no consumo de água. Os cestos de lixo são separados por tipo de resíduo para posterior reciclagem. Quando há renovação de equipamentos, como computadores e impressoras, os itens são doados”, afirma Medeiros.
Os projetos também implicam em redução de custos operacionais. “Com a reciclagem das nossas maquininhas, por exemplo, vamos produzir toneladas de sucata por dia. Todo material gerado é reutilizado na fabricação de componentes de plástico, produção de papel, fios de cobre, cabides, novos terminais etc”, acrescenta.
Presente em todos os municípios do Brasil, a Redecard possui hoje centenas de Bases Avançadas para instalação, troca, desinstalação e manutenção das maquininhas. “Desmontamos o equipamento, abrindo cada um e separando os diversos materiais (plástico, ferro, placa, circuito, fios, teclado, metais preciosos etc.). A sucata gerada pelo processo é enviada para reciclagem e, no caso das placas, são quebradas e levadas para um forno onde os metais são separados. Neste processo, temos 28 pessoas envolvidas, com uma produtividade de 3,2 mil equipamentos por dia. Este número pode variar, mas esta é a nossa média diária até o fim de 2009”, conta Medeiros.
Com estas medidas, a Redecard alcançou o objetivo de constantemente reciclar todos os seus terminais inutilizados e reduzir drasticamente os impactos da sua operação sobre a natureza. “A implementação destas medidas representa um desafio, sem dúvida, pois via de regra é mais simples descartar do que reciclar. Mas a Redecard é um bom estudo de caso para demonstrar que pode ser feito com ganhos comerciais, inclusive”, conclui o executivo.

Inscreva-se em nossa newsletter e
receba tudo em primeira mão

Conteúdos relacionados

Entre em contato
1
Posso ajudar?