Nove integrantes da PLS participam de lançamento de agenda sustentável para presidenciáveis

Nove integrantes da PLS participam de lançamento de agenda sustentável para presidenciáveis

24 empresas do Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável apresentam documento para influenciar os futuros governantes

Nove empresas pertencem ao movimento Plataforma Liderança Sustentável: BASF, Brasil Kirin, Braskem, Masisa, PepsiCo, Renova Energia, Schneider Electric, Unilever e Walmart

 

Os maiores grupos empresariais do Brasil se uniram por meio do Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS) e, em uma iniciativa inédita, construíram juntos a “Agenda CEBDS – Por um País Sustentável”. O grupo de propostas na área de Sustentabilidade tem por objetivo contribuir com o próximo presidente e com os futuros governantes nos cerca de dois mil cargos a serem disputados nas próximas eleições, em outubro deste ano.

Lançado hoje em São Paulo, o documento foi desenvolvido a pedido dos próprios CEOs das empresas associadas do Conselho que endossam a Agenda, e elencaram cinco principais macro-objetivos que englobam 22 propostas transversais ao tema da Sustentabilidade, em áreas como Educação, Saneamento, Equidade, Biodiversidade, Gestão de Recursos Hídricos, Energia e Mobilidade, entre outros.

Participam da Agenda as empresas Abralatas, Basf, Bayer, Brasil Kirin, Braskem, BRF, DNV, Dow Latin America, Ecofrotas, EY, GE, Lafarge, Masisa, Monsanto, PepsiCo, Pirelli, Renova Energia, Rhodia Solvay Group, Schneider Eletric, Shell, Siemens, Syngenta, Unilever e Walmart.

“O movimento representa um avanço histórico na relação entre os setores público e privado, quando pela primeira vez grandes empresas endereçam propostas para o desenvolvimento sustentável com qualidade, iniciando um diálogo com governantes desde o início do mandato”, afirma Marina Grossi, presidente do CEBDS. “É uma nova forma de fazer política em que buscamos criar aderência às boas práticas do meio empresarial, dar escala a essas ações e aumentar a competitividade do Brasil internacionalmente”, completa.

As propostas serão apresentadas pelos CEOs aos candidatos à presidência, que validarão com quais pontos da Agenda se comprometem previamente. Após a definição do novo presidente, será feito um novo encontro, em janeiro, para a entrega formal das propostas validadas pelo candidato e a criação de um fórum permanente de acompanhamento do que foi discutido.

O documento será também apresentado para as lideranças partidárias, Congresso, Senado e Executivo, já que as decisões envolvem todas essas esferas e o intuito é que a discussão seja ampliada e endossada pelo máximo de futuros governantes do país.

Acesse a agenda: http://cebds.org.br/agenda/

Propostas prioritárias da Agenda
 
Objetivo 1: Agregar valor aos produtos da indústria brasileira

Defender o “Selo Brasil”, capaz de diferenciar nos mercados internacionais produtos brasileiros confeccionados com matriz energética mais limpa e menor emissão de CO2.

Nas compras governamentais, adotar critérios de sustentabilidade que privilegiem produtos com menor impacto ambiental, a partir de uma abordagem de análise de ciclo de vida.

Objetivo 2: Valorizar e proteger os ativos e recursos naturais brasileiros

Regular e incentivar o Pagamento por Serviços Ambientais, a partir de projetos apresentados pela iniciativa privada, por meio de dedução de impostos devidos – no padrão lei Rouanet.

Instituir novo marco legal do patrimônio genético, para desburocratizar o acesso à biodiversidade e ao conhecimento tradicional, de forma sustentável.

Estabelecer uma política de bonificação tarifária para consumo inteligente no uso da água e de energia na indústria, no comércio e em ambientes condominial e rural.

Objetivo 3: Ampliar o acesso à infraestrutura e serviços básicos e de qualidade para a população

Estabelecer metas via Lei de Responsabilidade Sanitária (LRS), para melhorias nos indicadores de saneamento, com penalização ou premiação, e estimular a ampliação das parcerias com a iniciativa privada.

Promover uma melhoria sistêmica na qualidade da educação básica incluindo modelos de gestão compartilhada com a iniciativa privada.

Objetivo 4: Promover eficiência e qualidade de vida nos centros urbanos brasileiros

Estabelecer requisitos de construção sustentável certificada, visando o baixo impacto ambiental, como o estímulo de sistemas de aquecimento solar, racionalização do uso de água, e reciclagem de resíduos.

Ampliar a oferta de transporte público de qualidade, diversificando modais e informatizando a operação e fiscalização.

Objetivo 5: Liderar a transição para a economia de baixo carbono

Criar políticas de leilões regionais e por fonte geradora, de modo a construir uma matriz elétrica mais equilibrada.

Estabelecer políticas de incentivo aos investimentos em smart grid para ampliar o consumo inteligente de energia e a geração distribuída, inclusive por meio de fontes limpas e renováveis.

Sobre o CEBDS

O CEBDS é uma associação civil sem fins lucrativos que promove o desenvolvimento sustentável, nas empresas que atuam no Brasil, por meio da articulação junto aos governos e a sociedade civil além de divulgar os conceitos e práticas mais atuais do tema.

O CEBDS foi fundado em 1997 por um grupo de grandes empresários brasileiros atento às mudanças e oportunidades que a sustentabilidade trazia, principalmente a partir da Rio 92.

Hoje reúne em torno de 70 empresas, dos maiores grupos empresariais do país, com faturamento de cerca de 40% do PIB e responsáveis por mais de um milhão de empregos diretos.

É representante no Brasil da rede do World Business Council for Sustainable Development (WBCSD), que conta com quase 60 conselhos nacionais e regionais em 36 países e de 22 setores industriais, além de 200 grupos empresariais que atuam em todos os continentes.

Mais informações:

[email protected] | [email protected]

Inscreva-se em nossa newsletter e
receba tudo em primeira mão

Conteúdos relacionados

Entre em contato
1
Posso ajudar?