CONSUMO – Braskem e Acinplas fecham parceria

CONSUMO – Braskem e Acinplas fecham parceria

Acordo é para fornecimento de Polietileno Verde para a fabricação de filmes plásticos
A Braskem e a Acinplas acabam de fechar parceria para fornecimento de polietileno verde de origem 100% renovável. A resina será usada na fabricação de filmes plásticos, que serão transformados em um produto licenciado sob a denominação de Sistema Unisold®, utilizado pelas empresas administradas pela Acinplas – Suzuki, Koba, Plasa, Voti e Tashiro&Takata. Esse sistema auxilia o consumidor na compra de frutas e verduras no setor de hortifruti dos principais supermercados do Brasil e da Europa, pois fornece os sacos picotados para acomodar os alimentos com praticidade, higiene e resistência.
A parceria foi possível graças ao foco das empresas em práticas sustentáveis, principalmente em relação ao meio ambiente, já que o mercado consumidor cada vez mais exige produtos ecologicamente corretos e produzidos por empresas social e ambientalmente responsáveis.
“Essa parceria mostra que o polietileno verde da Braskem atende às exigências das empresas e do mercado. É um material que possui as mesmas características do polietileno tradicional, mas que tem um ciclo de vida que contribui para a redução do efeito estufa e do aquecimento global”, diz Luiz Antônio Nitschke, líder comercial do Projeto de Polietileno Verde da Braskem.
Segundo Erich Wendler e Gustavo Bazzano, diretores da Acinplas, a parceria é estratégica. “Vimos a possibilidade de agregar valor à linha de produtos do grupo com o uso de matéria-prima de fonte renovável. Acreditamos no PE Verde e na capacidade dos profissionais da Braskem no desenvolvimento do projeto. Decidimos participar comercialmente dessa nova tecnologia sustentável, assimilando dessa forma um novo modelo de negócio, totalmente em linha com as diretrizes da empresa em desenvolvimento sustentável”, dizem.
Recentemente, a Braskem anunciou o lançamento da pedra fundamental da planta que produzirá o polietileno verde, no Rio Grande do Sul. O evento simbolizou o início das obras da primeira unidade industrial do mundo a utilizar etanol de cana-de-açúcar para a produção em escala comercial de eteno e polietileno de origem 100% renovável.
O investimento total será de aproximadamente R$ 500 milhões. O projeto prevê a construção de uma planta  de eteno – matéria-prima para o polietileno – a partir do etanol.  A unidade terá capacidade para produzir 200 mil toneladas/ano de eteno, que serão transformadas em volume equivalente de polietileno em unidades industriais já existentes no próprio Polo de Triunfo. A partida da nova planta está prevista para o quarto trimestre de 2010 e o início da operação comercial, para o começo de 2011.

Inscreva-se em nossa newsletter e
receba tudo em primeira mão

Conteúdos relacionados

Entre em contato
1
Posso ajudar?