Pesquisa nacional com 120 usinas de reciclagem de resíduos de construção e demolição

Pesquisa nacional com 120 usinas de reciclagem de resíduos de construção e demolição

A segunda Pesquisa Setorial realizada pela Abrecon – Associação Brasileira para Reciclagem de Resíduos da Construção Civil e Demolição apresenta o mapeamento de 120 usinas de reciclagem de resíduos da construção civil e demolição do País. Os resultados completos foram divulgados no dia 8/10, durante a 1ª Feira e Congresso RCD Expo, promovida pela Eco Brasil, que traz novidades e inovações em máquinas e produtos voltados para o mercado da reciclagem de entulho. A região Sudeste concentra mais da metade das Usinas de Reciclagem de Entulho do Brasil.

Segundo Levi Torres, coordenador da Abrecon, o que mais surpreendeu no resultado da pesquisa, foi saber que 86% das empresas entrevistadas têm planos de ampliar os negócios nos próximos anos. “O mercado brasileiro de RCD (Resíduos da Construção e Demolição) tem muito potencial para crescer, mas ainda sofre com a falta de incentivos fiscal e tributária. No entanto, o momento é favorável para ampliar os negócios, estimulado pelas obras de infraestrutura e da construção civil. Em 2014, teremos um aumento significativo de novas usinas de RCD. Deverão operar, principalmente nas regiões mais adensadas, como São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Paraná”, antecipa Torres.

A Pesquisa Setorial apresenta a quantidade de entulho reciclada no país, bem como números de postos de trabalho gerados com a reciclagem de resíduos da construção civil, situação e localização das empresas e dados de confiança no segmento.

A 1ª RCD Expo Feira e Congresso Internacional de Negócios do Mercado de Reciclagem de Resíduos de Construção e Demolição acontece simultaneamente à ExpoSucata – Feira e Congresso Internacional de Negócios da Indústria de Reciclagem, e à 2ª ExpoLixo – Feira e Congresso Internacional de Negócios do Mercado de Limpeza Pública, Resíduos Urbanos e Industriais.

As feiras integradas formam o maior evento de resíduos sólidos na América Latina, e oferecem aos visitantes um complexo de 15 mil m², formado por mais duas feiras: MercoApara (para o setor de papel), Reciclaplast (para o setor de plástico). Em dois pavilhões, serão apresentadas soluções para coleta, acondicionamento, transporte, movimentação, triagem e processamento, entre outros processos.

Catadores terão que se adequar a uma nova realidade

Na 2ª Expolixo, novidades em equipamentos e soluções que aumentam a produtividade e de pequenos, médios e grandes recicladores estarão sendo demonstradas


A exemplo do que já ocorreu na Europa e Estados Unidos, aos poucos, o Brasil está passando por uma profunda mudança no manejo e no gerenciamento de resíduos sólidos urbanos (RSU). Para aumentar a produtividade e qualidade na triagem de resíduos, evitar que seja enviado para aterros materiais recicláveis e atender às diretrizes da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) algumas prefeituras brasileiras estão partindo para a automação e mecanização do sistema.

É o que está ocorrendo, por exemplo, na cidade de São Paulo. Em abril deste ano, a prefeitura anunciou a construção de quatro centrais automáticas de resíduos até 2016. Duas dessas centrais (uma no bairro do Bom Retiro e outra em Santo Amaro) deverão entrar em operação em 2014. Centrais automatizadas de resíduos também estão previstas nas cidades de Uruguaiana e Panambi (RS).

Nesse sentido, catadores de todo o país terão, em breve, que encontrar novas formas de ocupação dentro do setor de resíduos, ou em alguns casos fora dele. “As prefeituras que entregaram seus Planos Municipais de Gerenciamento Integrado de Resíduos Sólidos (PMGIRS) já estão sinalizando essa mudança oferecendo cursos profissionalizantes para catadores atuarem na área de serviços ou até industrial”, diz Adriano Assi, diretor executivo da ExpoLixo – Feira e Congresso Internacional de Negócios do Mercado de Limpeza Pública, Resíduos Urbanos e Industriais. Na cidade de Porto Alegre, uma lei municipal foi ainda mais longe. Um projeto já regulamentado (PL nº 10.531/2008) prevê a proibição da atividade de catador a partir de 2020.

Entre as novidades da ExpoLixo, uma máquina de triagem ótica de embalagens de plástico (Ecopack), que ainda não existe no mercado brasileiro, com capacidade para 6 toneladas/hora está sendo demonstrada pela empresa espanhola PIC Visa. Já a linha de compactadores de resíduos sanitários da Bomag traz quatro motores hidráulicos instalados no interior de quatro câmaras hermeticamente seladas, que evitam a penetração de cabos de ferro no seu interior. As cabines também são muito confortáveis e totalmente isoladas do ambiente externo. São equipadas com ar condicionado que utilizam filtro de carbono, para evitar que gases nocivos penetrem na plataforma do operador.

O último relatório do IPEA – Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada sobre a Situação Social das Catadoras e Catadores de Material Reciclável e Reutilizável na Região Sudeste, indica a possibilidade de um intervalo entre 400 mil e 600 mil catadoras e catadores, considerado a partir de diversas fontes de dados sobre o tema. A região Sudeste concentra 116.417 pessoas desse universo, o que representa 41,6% do total. O estado de São Paulo possui o maior contingente da região, com 79.770 trabalhadores, praticamente a mesma quantidade da soma dos outros três estado da região.

Serviço:
O quê:
-8ª ExpoSucata – Feira e Congresso Internacional de Negócios da Indústria de Reciclagem
– 2ª ExpoLixo – Feira e Congresso Internacional de Negócios do Mercado de Limpeza Pública, Resíduos Urbanos e Industriais
– 1ª RCD Expo – Feira e Congresso Internacional de Negócios do Mercado de Reciclagem de Resíduos de Construção e Demolição
Quando: de 8 a 10 de outubro de 2013, das 13h às 20h
Onde: Centro de Exposições Imigrantes, Rodovia dos Imigrantes, Km 1,5 – Jabaquara/SP

Mais informações:

[email protected] | (5511) 3030-9463 | www.2pro.com.br

Inscreva-se em nossa newsletter e
receba tudo em primeira mão

Conteúdos relacionados

Entre em contato
1
Posso ajudar?