4ª Mostra de Responsabilidade Socioambiental

4ª Mostra de Responsabilidade Socioambiental

A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo promove, entre 24 e 26 de agosto, a 4ª Mostra de Responsabilidade Socioambiental Fiesp/Ciesp, na sede da entidade, na Avenida Paulista. O evento é composto por três pilares: congresso, espaço de exposições e atividades culturais.
A 4ª edição da Mostra consolida-se como fórum de discussão, priorizando assuntos contemporâneos que passam pela qualidade de vida. O tema dessa edição é  “Desastres climáticos, epidemias, pandemias, drogas e envelhecimento: Ação coordenada para a sustentabilidade global”.
Confira os principais temas e atividades que serão desenvolvidas no evento:
Indústria alimentícia e saúde do consumidor
No primeiro dia (24), o tema “Indústria Alimentícia Orientada para a Saúde do Consumidor” ganhará contorno de discussão. Trata-se do reflexo da mudança de hábitos alimentares por parte dos consumidores, que se tornaram mais saudáveis, além da proatividade da indústria mobilizada em função do selo de qualidade nos produtos industrializados e a necessidade de limitação a quantidade de sal ingerida.
Para o moderador da mesa, Alberto Ogata, presidente da Associação Brasileira de Qualidade de Vida (ABQV), houve um “amadurecimento da postura do consumidor e a mobilização da sociedade como um todo” em torno do assunto. Os aspectos qualitativos do produto também guardam relação direta com a visão de responsabilidade social por parte da indústria, segundo Ogata.
Representantes da Associação Brasileira das Indústrias de Alimentos (Abia) e de outros setores participarão da mesa-redonda. Outros aspectos a serem abordados neste dia tratam do envelhecimento e da manutenção da capacidade funcional e da diversidade aliada à capacitação profissional para a inclusão no mercado de trabalho. Haverá ainda a apresentação de cases da Intel, Microsoft, Telefonica, Casas Bahia e Sebrae.
No painel “Suporte psicossocial ao trabalhador da indústria”, será abordados exemplos que vêm da Carbocloro (preparação para aposentadoria) e da Vale (programa de assistência ao empregado). Destaque para a apresentação do case “FIB aplicado no ambiente empresarial”.
Joaquim Kavakama, da Câmara Interbancária de Pagamentos (CIP), exibirá um filme cujo foco é a dinâmica adotada junto aos funcionários, e as razões que levaram os dirigentes a investir fortemente em treinamento e a adotar o FIB (índice de Felicidade Interna Bruta) corporativo. Serão apresentados, inclusive, os resultados obtidos e as expectativas dos envolvidos nesse processo.
Reutilização de resíduos
Tendo como princípio os chamados “três Rs” – Reduzir, Reutilizar e Reciclar –, 56 empresas já aderiram à iniciativa e produzem, por meio de seis linhas de montagem, 155 peças, entre estantes, cabeceiras, camas com gavetas, bancadas de estudo, bancadas móveis, mesas, prateleiras e gabinetes de pia a partir da reutilização de resíduos.
O sucesso do projeto “Movelaria Solidária”, que tem como princípio melhorar a qualidade de vida de crianças, jovens e idosos pela confecção de móveis sustentáveis, poderá ser conferido no próximo dia 25 de agosto, durante a Mostra.
“Após a ideia concebida, os empresários a transformaram num plano para ações de responsabilidade social. Queremos que existam Arranjos Produtivos Locais (APLs) da indústria moveleira ou de materiais de construção, para que o projeto seja divulgado e implementado”, diz Rose Mary Estácio, da Unidade de Atendimento e Fomento do Sebrae-SP.
De acordo com Rose Mary, a primeira atuação do Movelaria Solidária foi concluída no dia 3 de julho e beneficiou a “Casa da Criança e do Adolescente Gente Feliz – Associação A Tenda de Cristo”. O programa durou um ano e meio e possibilitou a criação de uma metodologia que pode ser seguida em todo o País. As peças criadas farão parte de uma central de projetos do APL Movelaria Paulista e as empresas poderão produzi-las para atender o público das classes de baixa renda e a demanda do programa “Minha Casa, Minha Vida”, do Governo Federal.
Para ser beneficiada pelo Programa Movelaria Solidária, a entidade beneficente deverá passar por análise de documentação, visitas ao local, além de atender a diversos critérios, como estar localizada na mesma região de empresas que integram a APL Movelaria Paulista, possuir sede própria e assistir um número determinado de beneficiados. “Em um primeiro momento, nossa intenção não é beneficiar grandes instituições, mas aquelas em que nossas ações realmente façam a diferença”, explica Claudio Gumieiro, diretor da Prospectus Móveis e coordenador do Eixo de Marketing Institucional do Movelaria Paulista.
Atrações culturais

Entre as apresentações culturais, o projeto “Treme Terra”,  se apresenta no dia 25 de agosto. O espetáculo foi criado a partir de oficinas de percussão e danças afro-brasileiras ministradas a jovens moradores do Morro do Querosene, em São Paulo. Os artistas utilizam ritmos acústicos tocados em tambores convencionais combinados a sons extraídos de materiais reaproveitados.
Outro trabalho interessante é o da atleta paraolímpica Paola Klokler, que representa o Brasil em campeonatos de basquete sobre cadeira de rodas em todo o mundo. Na Fiesp, ela apresentará outra faceta: a de dançarina de dança do ventre.
Já a Trupe Rodapé é um grupo de teatro da Fundação Uniban, formado por jovens e adultos com deficiência decorrente de lesão cerebral provocada por diferentes motivos – falta de oxigenação do cérebro durante o parto, traumatismos crânio-encefálico em acidentes e outros. O grupo criou a peça “Limite do Ser”, que fala sobre deficiências e superações.
Haverá ainda a participação do Palavras de Paz, parceiro da Mostra no ano passado, além de apresentações esportivas (Karatê e Tae Kwondo) e musicais (Camerata, Coral e Orquestra de Câmera).
O espaço de atividades culturais da Mostra reunirá diversas iniciativas de inclusão social e de expressão artísticas, promovendo a cidadania, um dos objetivos trabalhados neste evento de Responsabilidade Socioambiental promovido anualmente.
Mobilidade Urbana
O congestionamento é um problema comum às grandes cidades e as alternativas para a mobilidade urbana têm lugar privilegiado na mesa de discussões. No próximo dia 26 de agosto, debate-se “Um novo olhar para a mobilidade das cidades”. Palestrantes internacionais, os engenheiros Brian Lagerberg (EUA) e Martin Lutz (Alemanha), relatam as experiências em seus países que resultaram na primeira lei mundial que trata de mobilidade sustentável e no Programa LEZ (Zonas de Baixa Emissão de CO2) da Comunidade Europeia.
O projeto “Zonas de Baixa Emissão de CO2”, que limita a circulação de veículos poluidores nas cidades européias, será detalhado por Martin Lutz, diretor de Saúde e Meio Ambiente do Senado de Berlim. Nessa cidade, os veículos poluentes são proibidos de trafegar em áreas de alta concentração, em função de política rígida e multas para quem transgredir as regras.
Martin Lutz foi o responsável pela implantação do ousado plano de redução de gases tóxicos devido ao número expressivo de mortes registradas no continente europeu, especialmente na Alemanha e Inglaterra. Ele tratará das dificuldades da implantação do plano e a necessária adaptação dos carros, além das possíveis parcerias público-privadas.
Brian Lagerberg é o principal responsável pela implantação do Commute Trip Reduction (CTR), iniciativa para redução de viagens motorizadas individuais para driblar os congestionamentos significativos em Washington. A ação resultou na primeira lei mundial que trata de mobilidade sustentável. Os resultados animam: as empresas investiram aproximadamente US$45 milhões em mobilidade, obtendo US$35.70 para cada US$1 aplicado pelo Estado [2006].
O governo local inclui empresas  com mais de 100 funcionários no projeto, subsidiando deslocamentos de funcionários com isenção de taxas vinculadas ao trânsito. Assim, as empresas fazem mapeamentos próprios e estimulam a carona solidária. Em Washington, incentivos e prêmios aos participantes se tornaram habituais.
Segundo Lagerberg, o CTR auxilia no combate aos efeitos das mudanças climáticas e diminui os atrasos ao retirar aproximadamente 28 mil veículos das ruas diariamente. Incentiva-se o uso de meios de transportes coletivos, metrô e ônibus, e alternativas como bicicletas e caminhadas, além da utilização dos bolsões de estacionamentos em áreas recuadas das zonas de congestionamento.
Serviço:
4ª Mostra de Responsabilidade Socioambiental da Fiesp/Ciesp
Tema: Desastres climáticos, epidemias, pandemias, drogas e envelhecimento – Ação coordenada para a sustentabilidade global
De 24 a 26 de agosto de 2010
Sede da Fiesp, Avenida Paulista, 1313
Informações e inscrições gratuitas: http://www.fiesp.com.br/socioambiental/

Mais informações:

Rose Matuck
[email protected]
(11) 3549-4602

Inscreva-se em nossa newsletter e
receba tudo em primeira mão

Conteúdos relacionados

Entre em contato
1
Posso ajudar?