COOPERAÇÃO PARA EDUCAÇÃO SUSTENTÁVEL

Por Fabiana Crivano Lopes

Com base na Comissão Nacional da UNESCO, a educação é chave para a mudança de pensamento e atitude na sociedade.

O mercado corporativo está mais exigente e sensível à Sustentabilidade, não só no seu tripé básico, que engloba o ambiental, o social e o econômico, mas sim de uma forma muito mais holística e humana. Nesse sentido, Boff (2014), defende ser necessária uma reinvenção de como o ser humano deve posicionar-se no mundo, ser e estar, escorado pela ‘ética do cuidado’, preservando a sensibilidade, o sentimento e a solidariedade, dissipado pela educação, a ‘porta de entrada’ para um novo prelúdio. É importante implantar estes princípios na postura pessoal e profissional. Aclimatá-los às práticas cotidianas, de forma que não percam seu valor. Para tanto, deve-se ressaltar que a educação para sustentabilidade deve estar diretamente envolvida com todo esse equilíbrio, fortalecendo a sensibilização das lideranças corporativas ao tema.

O futuro se desenha nas ações praticadas no presente e na observação dos erros cometidos no passado. Transformar o erro em conhecimento é um grande passo para promover a transformação do aprendizado. Se não repensarmos questões como essas e não interpretarmos os nexos entre as mesmas, a formação de líderes sustentáveis se torna inconsistente.

Faz-se necessário repensar e inovar a educação de forma mais sustentável em todos os níveis, principalmente na formação de lideranças.  Romper paradigmas com o objetivo de valorizar um conjunto de múltiplas competências essenciais na formação do homem para vida em sociedade. As escolas de negócios e as universidades corporativas têm papel fundamental nesse processo. Devem promover incentivos à formação interdisciplinar, agregando valores e práticas sustentáveis, a fim de estimular, conectar e inspirar líderes capacitados para transformar intenções em ações eficientes e construir legado.

O cenário corporativo atual demanda a necessidade da atualização do currículo e do perfil de atuais e futuros profissionais. Hoje, o profissional que se autogerencia é protagonista de sua carreira. O formato de mercado pede líderes com postura mais alinhada a estes conceitos.

O PRME (Princípios para Educação Executiva Responsável), é uma plataforma da Organização das Nações Unidas (ONU), que permeia essa temática e convida as escolas de negócios, universidades corporativas e IES (Instituições de Educação Superior) para se engajarem, aplicando valores e práticas que irão colaborar diretamente para a formação de lideranças mais responsáveis, valorizando a educação e buscando novos padrões e oportunidades mais sustentáveis.

Movimentos como o PRME e a Plataforma Liderança Sustentável formam uma grande rede cooperativa de conhecimento, entorno da educação, da liderança sustentável e responsável, inspirando líderes a se tornarem agentes transformadores na prática de valores essenciais à sustentabilidade.

Implementar a educação para sustentabilidade na formação de líderes mais responsáveis é um desafio de sensibilização, onde todos devem estar comprometidos, objetivando um futuro mais sustentável e vislumbrando uma responsabilidade corporativa, educadora e transformadora na cultura organizacional.




Compartilhar:

 

twitter

Parcerias