Braskem e À La Garçonne levam o Plástico Verde para o SPFW N43

A empresa continua a parceria com o maior evento de moda do País para demonstrar como o plástico pode contribuir com a sustentabilidade no mercado fashion

Para demonstrar como a associação entre o uso inteligente de tecnologias, o universo do plástico e a criatividade é tendência para uma moda mais sustentável, a Braskem segue nas passarelas na próxima edição do São Paulo Fashion Week, que acontece entre 13 a 17 de março. A maior fabricante de resinas termoplásticas das Américas e a marca À La Garçonne, comandada por Fábio Souza e Alexandre Herchcovitch, fecharam parceria para a produção de peças exclusivas, produzidas em impressão 3D com Plástico Verde, para a coleção que será apresentada em 16 de março.

 

Algumas pulseiras e botões usados na coleção serão totalmente personalizados e confeccionados na impressora 3D da Made In Space, parceira da Braskem no projeto “Imprimindo o Futuro”, que levou o plástico de origem renovável para a impressão 3D, em gravidade zero, na Estação Espacial Internacional, no ano passado. O Plástico Verde foi desenvolvido com tecnologia brasileira, tem a cana-de-açúcar como matéria prima e seu principal diferencial é a contribuição para a redução da emissão dos gases do efeito estufa na atmosfera, já que captura gás carbônico durante o processo de crescimento da cana.

 

Usado pela primeira vez na moda, o Plástico Verde tem total aderência com a proposta da À La Garçonne, que foi estabelecida em cima de conceitos de preservação ambiental, reciclagem upcycling e reúso. “A possibilidade de fazer pequenas peças customizadas dá total abertura à criação. Além disso, o material aceita todo tipo de forma e sua fonte é natural”, destaca Alexandre Herchcovitch.

 

“Nosso objetivo é demonstrar que é possível aliar ideias sustentáveis à paixão pela moda. Tanto a impressão 3D quanto o Plástico Verde ajudam a expandir os limites da criatividade e permitem romper com o ciclo de desperdício nesse mercado, produzindo de acordo com a demanda e utilizando fonte renovável, com a possibilidade de reciclagem. Por esse motivo, entendemos que, mais do que nunca, o plástico está na moda”, afirma Claudia Bocciardi, diretora de Marketing da Braskem.

 

A Braskem participa, também no dia 16 de março, de conversa sobre moda, sustentabilidade e impressão 3D, no talk “Moda, design, Inovação: Impactos Exponenciais” – integrando a Programação do Projeto Estufa, iniciativa do SPFW que dará projeção às reflexões em torno do futuro e do fazer diferente e que conta com apoio da empresa. Na ocasião, Alexandre Herchcovitch; Claudia Cappra, diretora comercial de Químicos Renováveis da Braskem; e Matthew Napoli, vice-presidente da Made In Space, vão debater como o plástico pode atuar de forma positiva por uma moda mais sustentável.

 

Com uma agenda que provocará discussões sobre mercado, design, novos materiais, processos, tecnologias e ideias, as conversas do Projeto Estufa acontecem até o dia 17 de março, na Fundação Bienal. O propósito é impulsionar novas formas de criar, produzir e distribuir.  A programação completa pode ser conferida em ffw.com.br/spfw  e nos perfis do SPFW nas redes sociais.

 

Quem se interessar em conhecer mais sobre como o plástico e a impressão 3D contribuem com a sustentabilidade, a Braskem construiu um espaço aberto aos visitantes do SPFW N43 onde poderão ver de perto uma impressora 3D em funcionamento utilizando o Plástico Verde da Braskem.

 

Braskem no SPFW N43

Essa é a segunda vez que a Braskem participa do São Paulo Fashion Week. Na edição N41, a empresa apoiou o desfile do estilista João Pimenta e levou para a passarela os paratletas da elite do esporte nacional Silvânia Costa, Mateus Evangelista, Claudiney Santos e Elizabeth Rodrigues, integrantes da Equipe Brasileira de Paratletismo. A trilha sonora ficou por conta dos músicos e dos instrumentos de plástico da Orquestra Plástica do NEOJIBA (Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia), projeto que articula, por meio da música, os campos da sustentabilidade e da inclusão socioprodutiva.

 

Sobre o Plástico Verde

O Polietileno Verde I’m green™ é feito a partir da cana-de-açúcar. Seu grande diferencial é contribuir para a redução da emissão dos gases do efeito estufa na atmosfera, já que captura gás carbônico durante o seu processo produtivo. Ele também apresenta as mesmas características do polietileno tradicional, ou seja, não necessita de adaptações de maquinário e é 100% reciclável. A planta de Plástico Verde da Braskem possui capacidade de produção de 200 mil toneladas por ano.

 

Sobre a Braskem

A Braskem é a maior produtora de resinas termoplásticas das Américas, com volume anual superior a 20 milhões de toneladas, incluindo a produção de outros produtos químicos e petroquímicos básicos, e com faturamento anual de R$ 54 bilhões. Com o propósito de melhorar a vida das pessoas, criando as soluções sustentáveis da química e do plástico, a Braskem atua em mais de 70 países, conta com 8 mil integrantes e opera 41 unidades industriais, localizadas no Brasil, EUA, Alemanha e México, esta última em parceria com a mexicana Idesa.




Compartilhar:

 

twitter

Parcerias